• jucoutinho7

Descomplicando a moda



Diante desse contexto de pandemia mundial a necessidade de adaptação tem nos influenciado em hábitos diários e sentimos a necessidade de falar sobre práticas de consumo que estão sendo suportadas pelo meio ambiente há muito tempo. O sistema tecnológico produz mercadorias em larga escala para sobreviver e criar novas necessidades de consumo >>> toda semana as vitrines mudam. Isso se enquadra no termo “ FAST FASHION” que significa “moda rápida” e vai contra a sustentabilidade. Lacan, um aprendiz de Freud dizia que “ O desejo é constituído por um vazio, ele nunca é preenchido e as empresas vão produzindo para preencher o desejo”. Com isso, as propagandas são bem pensadas e estudadas para entender o comportamento do consumidor. A indústria da moda é um das mais poluentes do mundo, desde a etapa de fabricação até o seu descarte e através do Neuromarketing é estudado formas de como funciona o comportamento da compra, como por exemplo:

Mostram que o consumidor precisa daquilo para ter felicidade;

Funcionários preenchem o vazio com elogios;

Seduzir o consumidor para entrar na loja através de placas de promoções, descontos únicos que induzem o consumidor a pensar “ nunca mais vou ter essa oportunidade”;

o cheiro/ o som na hora da experiência da compra;


Foto: Puput / Shutterstock.com

Em busca de formas alternativas para que esse setor continuasse produzindo sem agredir a natureza, termos como “moda sustentável”, “eco fashion” e “slow fashion” entram na contramão da moda globalizada baseada na preservação do meio ambiente, onde se torna necessário repensar o ciclo de vida da peça de roupa, para que desde o início a produção seja consciente e com muita durabilidade, onde todos os resíduos da produção sejam reaproveitados, sempre levando em consideração os aspectos sociais, econômicos e ambientais. A escolha do tecido por exemplo influencia diretamente, sendo ideal a utilização de fibras biodegradáveis como o algodão, fibras recicladas, lã e seda. A fabricação de tecidos com fibras sintéticas como poliéster, viscose, nylon necessita de uma grande quantidade de produtos químicos, que poluem o meio ambiente. A moda sustentável envolve também o consumo sustentável, onde a sociedade consumidora deve estar informada sobre os impactos ambientais e sociais da fabricação de peças. O conceito minimalista é um lifestyle baseado em menos consumo e com isso as roupas devem ser atemporais, versáteis e duráveis. O minimalismo valoriza a própria técnica do designer como um todo, seja um trabalho manual e artesanal. O desafio é encontrar roupas nesse estilo e por isso a Krant fábrica peças únicas com materiais de alta qualidade, desenhadas para ter uma modelagem versátil e estilosa, possibilitando o uso nas mais diversas combinações de looks. O termo armário cápsula surgiu na década de 70 e significa “aquele que consegue expressar o estilo e a personalidade de seu dono através de peças coringas, que podem ser combinadas entre si”. O street wear / street style por exemplo é uma tendência atemporal e democrática que surgiu com essa ideia de que a “inspiração vem das ruas”, de um jeito que apenas o urbano consegue ser, sem pertencer a um atelier. Esse estilo tem como base combinações que façam sentido no dia a dia, com mistura de cores, estampas e texturas. Não há regras para ele, as roupas devem transmitir personalidade e os looks são confortáveis para o dia a dia. Nas maquiagens, o street se alinha às makes mais neutras e naturais porém com o toque de batons mais marcantes, unindo a personalidade e o estilo único de cada ser.


Por: Juliana Coutinho







roupa lifestyle moda sustentável consciente