• Luiz Tolentino

Mercado do skate cresce com pandemia no mundo!

Estados Unidos, Reino Unido e Espanha já identificaram, e no Brasil, está crescendo?


O mercado do skate cresce com a pandemia e com os novos comportamentos causados pelo coronavírus no mundo. Um dos países que registrou este crescimento foi o Reino Unido, que está vendo um ressurgimento massivo de skatistas novos e engajados pelas ruas. “Este é o maior aumento desde que o jogo Tony Hawk Pro Skater causou o último boom em 2000.” Conforme notícia do boletim informativo olímpico Around the Rings.


O crescimento do skate se deve ao resultado implicado pelas restrições de quarentena.


Como o skate pode ser praticado em qualquer lugar urbano, um número expressivo de mulheres e casais começaram a praticar o esporte com o intuito de fazer atividades físicas, além das gerações mais velhas, que costumavam andar de skate na juventude e agora estão voltando sozinhos ou com os filhos.


Com este aumento de praticantes, os equipamentos estão se esgotando, pois os skates completos são os mais vendidos, algumas lojas de skate tiveram que esperar até 2 meses para repor seus estoques. Paul Haynes, proprietário da Rollersnakes Skateboard Shop, em Derby-GBR, disse: “Quando tivemos que fechar a loja em março, esperávamos o pior, mas ficamos surpresos com o número de pedidos online de novos skates das marcas mais populares”.


MySkate, um aplicativo que fornece aos skatistas as localizações de todos os skateparks no Reino Unido, tem visto um aumento de 180.000 usuários a cada mês, e com o skate se tornando um esporte olímpico pela primeira vez em Tóquio no próximo ano, é improvável que o crescimento diminua tão cedo.


Projeções do tamanho do mercado americano de skate, antes da Pandemia; fonte: Grand View Research


A lenda do skate Tony Hawk e o impacto do coronavírus: “Perdi muitos negócios”


Tony Hawk gera receita com sua marca de skate Birdhouse, além de apresentações em palestras, patrocínios e vídeo da Activision, franquia de jogos “Pro Skater”. “Sinceramente, perdi muitos negócios recentemente. Eu faço muitos eventos de skate e muitas palestras. E realmente muito disso é meu ganha pão. Então, todos foram obviamente cancelados ”, declarou Hawk.


A Vans contratou o skatista Tony Hawk como embaixador global em abril de 2020. Foto: Vans


Ele tem estado ocupado autografando cópias para arrecadar dinheiro para sua fundação, participando do leilão de celebridades “All In Challenge” para as pessoas afetadas pela Covid-19 e jogando versões antigas de seu videogame, além de manter o foco nos negócios.


O que você acha que está acontecendo no Brasil?


Dentro de todos os estudos que fiz, a participação do Brasil no mercado mundial não é citada, apesar de fazer parte das pesquisas. Não é desmerecimento, mas pode ser um alerta. Cadê as marcas brasileiras, que com o Real(R$) tão desvalorizado não estão exportando para o mundo?


Quando recebi a notícia da CBSk que André Barros, Bob Burnquist, Cezar Gordo, Eduardo Dias e Felipe Vital(grandes personalidades do skate brasileiro), integram o Conselho Consultivo de Gestão da Confederação Brasileira de Skate (CBSk), sonhei que poderia ser alguma coisa voltada para a Industria Nacional do Skate ou algo parecido. Pois precisamos de dados do nosso mercado.


Gilberto Andrade, da Narina Skate, fala o que o mundo está vendo: “Com a pandemia o mundo entrou em parafuso e a medida que todos foram ficando em casa com a proibição dos esportes coletivos. Futebol, vôlei, basquete, caminhadas -- Os jovens começaram a praticar mais o skate e a bike por serem esportes individuais. Seja em casa, na calçada, no quintal, nas ruas ou onde for.”


Ele também fala sobre o skate nas Olimpíadas, o crescimento dos skateparks e a ascensão das meninas, como causa deste crescimento das vendas nos skateshops. “Também, em função do dólar acima dos U$ 5.30, a procura por marcas nacionais novas e as old school, que cresceram muito com a produção por reissue (reedição), como os shapes Lifestyle e as rodas rajadas, sucesso nos anos 80/90, gerando uma nova demanda, que as fábricas não estão dando conta. Equipamento de proteção, alumínio, espuma e marfim, está tudo faltando.”


Skate is my life, skate is to destroy!