• Isadora Levi

O QUE A ROUPA QUE VESTIMOS TEM A VER COM O DIA INTERNACIONAL DA TERRA?


Imagem: Pinterest



Hoje é dia internacional da terra #earthday.

Mas já parou para pensar o que a roupa que vestimos tem a ver com esse dia? A grande maioria de nós já sabe (ou deveria saber) que a indústria da moda se faz presente entre os setores que mais geram impactos negativos ao nosso planeta, segundo o blog Modefica @modefica.

A cultura do fast fashion, há anos adotada na nossa sociedade, teve responsabilidade direta na inclusão do setor têxtil e da moda ao ranking dos mais poluentes, acompanhada pela indústria do petróleo e do agronegócio. O ritmo de consumo tornou-se desenfreado e consequentemente passamos a produzir mais resíduos, descartar produtos que não se encaixam às nossas altas exigências, utilizar e poluir cada vez mais os recursos hídricos sem antes considerar as consequências ambientais que todas essas ações humanas provocariam ao nosso bem estar e ao da terra.

A indústria da moda consome cerca de 2,1 bilhão de toneladas de gases de efeito estufa, quantidade equivalente às economias da França, Alemanha e Reino Unido juntas. Além disso, segundo a Global Fashion Agenda, estima-se que o setor seja responsável pelo segundo lugar em consumo de recursos hídricos no mundo, uma média de 1,5 trilhão de litros de água por ano. Um outro problema relacionado à cadeia de produção de moda está no descarte têxtil, onde 73% de seus resíduos acabam sendo lançados diretamente em aterros sanitários ou são queimados, apenas 1% desse material é utilizado para criar novas roupas.

Hoje, a disseminação de informação em massa e a maior politização da sociedade civil têm demonstrado mudanças efetivas na forma que a indústria fashionista tem conduzido seus negócios. Passamos a cobrar mais transparência da cadeia produtiva e construir uma rede de apoio às causas militantes em prol do meio ambiente, e por uma moda mais sustentável e inclusiva como é o caso do Fashion Revolution (@fash_rev_brasil).

Por isso, não há dúvidas de que a moda já começou a trilhar novos caminhos com muito mais responsabilidade ambiental e sociopolítica. Mas como podemos contribuir para uma moda mais sustentável? Algumas ações como a utilização da água pela indústria com mais eficiência, reutilizando-a em processos de beneficiamento, priorizar o uso de têxteis reciclados, orgânicos e sustentáveis, consumir de brechós e marcas slow fashion, apoiar militâncias e instituições que trabalham em prol da mudança do setor junto à esfera pública e privada são apenas algumas das práticas possíveis e ao nosso alcance.



Autora: Isadora Levi